Como chegar a Miranda do Douro

 

Em 1940 A. Fonseca escreveu:
«Um pouco incómoda , talvez, a viagem para Miranda, por falta de meios de comunicação; mas esse incómodo esquece depressa, a contemplarmos a cidade. Ir a Miranda, deve ser, assim (perdoe-se-nos o sacrilégio da imagem), como que fazer uma romagem aos Lugares-Santos; é que - para nós, ao menos, os portugueses - Miranda é um Lugar-Santo:
- Um dos Lugares-Santos da nossa Pátria.»
e mais realçou:
«Embora a viagem não seja das mais cómodas, ela é, no final, bem compensada, se atendermos ao interesse que Miranda desperta, mesmo nos espíritos medianamente cultos»
 

 
Ver Café Arcádia num mapa maior

A cidade de Miranda do Douro está situada no Nordeste de Portugal, próxima da cidade espanhola de Zamora que se encontra a 55 km (45 minutos), e a 98 de Salamanca (60 minutos). A cidade portuguesa de Lisboa encontra-se a 550 Km (5 horas), a do Porto encontra-se a 300 km (3 horas), a de Vila Real a 190 km (2 horas), e a de Bragança a 87 km (55 minutos).

 Utilização de Carro particular

Como chegar, partindo de Lisboa:

a)   De Lisboa até ao Porto pela A1, de seguida pode optar pelos trajectos partindo do Porto;

b)   De Lisboa apanha a A1 até à saída de Torres Novas, seguindo pela A23, depois apanha a A25 no sentido de Aveiro, saindo para Celourico da Beira. Daqui deverá tomar a direcção de Torre de Moncorvo, indo de seguida no sentido de Mogadouro. de Mogadouro a Miranda do Douro são mais 48 Km pela EN221.

c)   De Lisboa apanha a A1 até à saída de Torres Novas, seguindo pela A23, depois apanha a A25 no sentido de Vilar Formoso, de seguida apanhar a via rápida em direcção a Salamanca, de Salamanca dirigirmo-nos a Ledesma, para desde ali subir em direcção a Bermillo de Sayago, e com facilidade chegar a Miranda do Douro;

 Como chegar, partindo do Porto:

a)   Do Porto até Bragança e Quintanilha (fronteira com Espanha) através do IP4, seguindo depois a estrada de Zamora (N 122, E82) até passar a vila de Alcañices. Oito quilómetros após Alcañices cortamos à direita em direcção à aldeia espanhola de Moveros, passando Moveros entramos em Portugal no Santuário da Nossa Senhora da Luz, até a cidade de Miranda do Douro são aproximadamente 16 quilómetros;

b)   Do Porto até Macedo de Cavaleiros pelo IP4, para logo seguir até Mogadouro pela EN216. De Mogadouro a Miranda do Douro são mais 48 Km, pela EN221;

c)   Do Porto até Bragança pelo IP4, para logo seguir até Vimioso e depois Miranda do Douro;

d)   Do Porto em direcção a Bragança pelo IP4. Doze quilómetros depois de passar o desvio para Macedo de Cavaleiros, cortamos à direita em direcção a Izeda, seguindo até Vimioso e Miranda do Douro.

Como chegar, partindo de Zamora (Espanha):

a)  De Zamora dirigimo-nos em direcção a Quintanilha (Portugal), oito quilómetros antes de Alcañices cortamos à esquerda em direcção a Moveros, passando Moveros entramos em Portugal no Santuário da Nossa Senhora da Luz, até à cidade de Miranda do Douro são aproximadamente 16 quilómetros;

b)  De Zamora dirigimo-nos em direcção a Quintanilha (Portugal) pela estrada E82 / N122 e ao chegar a Ricobayo cortamos à esquerda em direcção a Miranda do Douro, pela estrada ZA324;

c)   De Zamora viajamos até Bermillo de Sayago pela estrada C527, ali cortamos à direita em direcção a Moralina, onde encontramos a estrada ZA324 que nos levará a Miranda do Douro.

 Como chegar desde Salamanca (Espanha):

a)  De Salamanca dirigirmo-nos a Ledesma, para desde ali subir em direcção a Bermillo de Sayago, e com facilidade chegar a Miranda do Douro.

 Utilização de Transportes Públicos

a)    De comboio até ao Pocinho (www.cp.pt), com ligação a Miranda do Douro de autocarro;

b)    De autocarros das empresas de camionagem (SANTOS - +351 273 432 667 - (www.santosviagensturismo.pt) - ou RODONORTE - +351 259 340 710 - (www.rodonorte.pt);

c)    De avião, utilizando o aeródromo de Bragança (http://www.aerovip.pt)

Encontre o melhor percurso em:

http://www.mappy.com

ou em

http://www.viamichelin.com

yousoumirandes@gmail.com 2004 © Site: Autoria Raúl Silva
colaboração de Teresa Ferreira
e Rita Segundo